“Quanto ao processo jurídico propriamente dito, não acho nada, porque não conheço, mas quanto à questão política, há muita gente que discorda, mas José Sócrates é um dos grandes representantes da corrupção em Portugal”, afirmou.




“Há uns cavalheiros em Portugal que vão ao Orçamento do Estado e tiram uma rentabilidade de 20% e andam os portugueses todos a pagar IVA, IRS e IRC para alimentar um Orçamento do Estado que, depois, serve de manjedoura para sete ou oito grupos económicos irem lá tirar a rentabilidade”, frisou.


“Foi buscar os ossos ao povo e deixou a carne para os antigos donos”, declarou.