O partido Pessoas-Animais-Natureza (PAN) anunciou, esta quinta-feira, que vai apoiar a candidatura de Ana Gomes na corrida a Belém. 

Ana Gomes é uma candidata forte e independente, que vai ao encontro do ideário e valores do PAN. Fazemo-o porque Ana Gomes é a única candidata que se apresenta como progressista, humanista europeista e que sente a emergência climática que vivemos e as preocupações dos nossos jovens", disse a deputada Inês Sousa Real numa conferência de imprensa, após decisão da Comissão Política Nacional do partido.

A líder parlamentar assinalou a importância das próximas eleições presidenciais, agendadas para janeiro de 2021, uma vez que o país e o mundo atravessam uma crise sanitária, humanitária, económica, ambiental e social. 

Inês Sousa Real elogiou a "transversalidade" das ideias de Ana Gomes, ao dizer que esta consegue "agregar diferentes campos políticos" e deixou algumas críticas à candidatura de André Ventura. 

As próximas eleições presidenciais serão também um combate pela democracia e pela defesa da nossa Lei Fundamental, a Constituição da República Portuguesa. Nas próximas eleições é preciso não só assegurar a derrota clara do populismo anti-democrático, do populismo racista, machista, homofóbico, xenófobo, mas também conseguir derrotar à segunda volta o conservadorismo", acrescentou. 

 

Portugal precisa de uma Presidente da República que demonstre também afeto pelo planeta e que priorize aquilo que são os desafios ambientais”, frisou.

A deputada considerou também que o “fechamento do sistema democrático” tem levado ao “crescimento do descontentamento” e a uma “quebra de confiança” por parte dos cidadãos, o que permitiu o “aumento dos populismos e dos perigosos discursos de ódio que põem em risco os mais básicos pilares do Estado de direito democrático”.

Ana Gomes "muito honrada" com apoio do PAN

Ana Gomes diz que se sente "muito honrada" com o apoio do PAN à sua candidatura e defende que a estabilidade de Portugal passa pela convergência entre vários partidos.

Entendo que essa  estabilidade, que todos queremos e ambicionamos para Portugal e para os portugueses, ficará mais reforçada se a Presidente da República tiver a capacidade de acolher e de integrar na sua proposta apoios políticos alargados. É nesse sentido que saúdo e me sinto muito honrada com o apoio do PAN à minha candidatura".

A eurodeputada disse ainda que dos vários contactos que veio a estabelecer com o partido, foram sempre identificando "muitos pontos de convergência entre ideias do PAN e da minha candidatura"

Entre esses pontos Ana Gomes apontou "a necessidade premente de defender o meio ambiente, apoiar a transição climática e melhorar os direitos de pessoas e animais".

É sabido que sou militante do Partido Socialista. Mas entendo que é no quadro de uma convergência de ideias mais alargada, com cidadãos, partidos e forças políticas progressistas, que a minha candidatura a Presidente da República se deve situar. Afirmei desde logo esse propósito quando me apresentei, faz hoje precisamente três semanas", salientou, por outro lado, a diplomata.

O PAN é o segundo partido a anunciar o apoio à antiga eurodeputada, depois de o Livre o ter feito no final de setembro.

São oito os pré-candidatos ao lugar de Marcelo Rebelo de Sousa: André Ventura (Chega), o advogado e fundador da Iniciativa Liberal Tiago Mayan Gonçalves, o líder do Partido Democrático Republicano (PDR), Bruno Fialho, a eurodeputada e dirigente do BE Marisa Matias, a ex-deputada ao Parlamento Europeu e dirigente do PS Ana Gomes, Vitorino Silva (mais conhecido por Tino de Rans), o ex-militante do CDS Orlando Cruz e, agora, junta-se João Ferreira do PCP.

Cláudia Évora / Atualizada às 14:09