Em tempos de pandemia, os candidatos têm de ser mais criativos do que nunca na forma de chegar às pessoas e não há dúvidas de que as redes sociais são uma das ferramentas mais eficazes de o conseguir. Por isso mesmo, os sete candidatos presidenciais não podem, ou pelo menos devem, ignorá-las.

Os debates presidenciais têm servido de alavanca para alguns candidatos por duas razões: ou porque proporcionaram momentos polémicos ou porque criaram algum momento insólito. Veja-se os casos de André Ventura, João Ferreira e Vitorino Silva. 

Os protagonistas do primeiro debate presidencial (André Ventura e João Ferreira) deram que falar pelo tom aceso e pelas interrupções constantes. Isso teve reflexo nas suas redes sociais.

VEJA TAMBÉM:

Outro dos momentos que deu que falar nas redes sociais foi registado no frente a frente entre Vitorino Silva e André Ventura, quando o candidato de Rans tirou cerca de quatro pedras do bolso em pleno debate.

VEJA TAMBÉM:

Se as eleições se resolvessem nestas plataformas digitais, o fundador do Chega e o candidato comunista seriam os vencedores. Marisa Matias também poderia ser uma possível vencedora, mas a candidata bloquista utiliza as contas pessoais, o que lhe dá uma margem maior ao nível dos seguidores.

Ana Gomes e Tiago Mayan Gonçalves também mantêm uma boa interação nas várias plataformas - Facebook, Instagram e Twitter. Já Marcelo Rebelo de Sousa pode dizer-se que é o candidato mais offline.

​​​​MARCELO REBELO DE SOUSA

Comecemos pela ausência de Marcelo nas redes. O atual Presidente da República só tem uma conta oficial na rede social Instagram. Ao contrário de outros candidatos a Belém, Marcelo não criou nenhuma conta específica para as presidenciais deste ano.

Conta com 91.730 seguidores (número registado quarta-feira, no dia de fecho deste artigo), mas nem por isso é um utilizador muito ativo. A publicação mais recente foi feita no dia 19 de novembro do ano passado, durante a participação na IX Sessão de apresentação sobre a “Situação epidemiológica da Covid-19 em Portugal”, no Infarmed, em Lisboa.

ANDRÉ VENTURA

O presidente do Chega é de longe o grande dominador das redes sociais. De acordo com o barómetro do ISCTE, André Ventura fez, na quarta-feira, apenas duas publicações no Facebook e estava em primeiro lugar na lista de candidatos com mais interações, com uma larga distância dos que ocupam o segundo e terceiro lugar: Tiago Mayan Gonçalves e João Ferreira respetivamente.

 

A publicação mais recente e que teve maior alcance foi no dia do frente a frente com João Ferreira, na TVI24, na qual o fundador do Chega acusou o candidato comunista de o ter deixado "de braço no ar" quando o tentou cumprimentar. (7,1 mil gostos, 1,9 mil comentários e 567 partilhas - números registados quarta-feira, no dia de fecho deste artigo).

Para além das contas pessoais, o deputado único do Chega criou uma conta de Instagram só dedicada à campanha, uma página de Facebook que conta com 6.806 gostos e ainda um site oficial de campanha

ANA GOMES

"Cuidar de Portugal": foi com este slogan que Ana Gomes se apresentou na corrida à Presidência da República e que consta da homepage do site oficial da candidata para as presidenciais. 

Criou ainda uma página no Instagram, uma outra no Facebook e ainda um canal de Youtube. No entanto, é no Twitter, através da sua página pessoal, que é mais ativa, com 80 tweets e 42 retweets entre o dia 29 de dezembro e 4 de janeiro.

A socialista é a candidata que tem maior audiência, mas recebeu menos partilhas e menções do que João Ferreira, André Ventura e Marisa Matias, parecendo não estar a conseguir potenciar o seu Twitter tanto quanto poderia.

Uma das publicações mais recentes no Facebook é um vídeo de uma intervenção no frente a frente com Marisa Matias, no qual afirmou: "Eu vivi em ditadura! Eu estou aqui porque quero combater quem quer devolver-nos à ditadura e a projetos autoritários"

MARISA MATIAS 

A eurodeputada do Bloco de Esquerda também tem bons números nas redes sociais, mas todas as contas são pessoais. Ou seja, Marisa Matias não criou nenhuma conta dedicada somente às presidenciais deste ano, o que lhe permite ter uma larga vantagem ao nível dos seguidores e, consequentemente, nas interações.

A rede social na qual a candidata do Bloco tem mais expressão é o Facebook, onde conta com mais de 102 mil gostos. Segue-se o Twitter com 58,7 mil seguidores e 25,1 mil no Instagram

Não menos importante, foi criado um grupo de Whatsapp no qual os apoiantes podem ir recebendo todas as novidades da campanha.

JOÃO FERREIRA

João Ferreira, o candidato presidencial apoiado pelo PCP, é um dos mais ativos nas redes sociais. O biólogo e eurodeputado, de 42 anos, criou uma conta de Instagram dedicada exclusivamente às presidenciais, uma página de Facebook, um perfil no Twitter, um canal no Youtube e ainda um site de campanha

Na mesma linha de Marisa Matias, também criou um grupo de Whatsapp no qual os apoiantes vão recebendo as últimas novidades da campanha.

Uma das publicações com mais interações nos últimos dias também esteve relacionada com o frente a frente com André Ventura. A certa atura do debate, Ventura disse várias vezes que os sites de João Ferreira e o PCP continham elogios a Lenine e à Coreia do Norte.

Tanto o candidato comunista como o partido acabaram por fazer um esclarecimento nas redes sociais, garantindo que a culpa da inacessibilidade foi da elevada procura. Foi esse esclarecimento que colocou João Ferreira nas luzes da ribalta e contou com 1,5 mil reações, 654 comentários e 173 partilhas. 

Se André Ventura liderou no Facebook, João Ferreira parece ter conseguido essa conquista no Twitter. Entre 29 de dezembro e 4 de janeiro, o debate entre ambos ocupou as três publicações com mais partilhas (retweets). 

A primeira estava relacionada com o facto do site de candidatura estar em baixo por causa das acusações de Ventura. No entanto, cerca de uma hora antes também o presidente do Chega tentou alimentar mais a polémica, com um tweet que teve 261 partilhas. 

O debate que ficou marcado pelo tom aceso e pelas interrupções constantes, motivou João Ferreira a partilhar uma versão editada, na qual é possível ouvir o candidato comunista a falar sem ser interrompido (197 retweets). 

Para além destas páginas, João Ferreira tem também uma conta pessoal no Twitter, desde janeiro de 2018. 

Fazendo uma análise geral, a rede social na qual tem mais sucesso é o Facebook, com um total de 14.026 gosto (número registado quarta-feira, no dia de fecho deste artigo). 

A segunda conta mais ativa é a do Twitter, com 3.767 seguidores, seguindo-se o Instagram, com 3.555 seguidores, e por fim o canal de Youtube com 331 subscritores.

TIAGO MAYAN GONÇALVES

O Iniciativa Liberal é conhecido pela sua criatividade, principalmente ao nível dos cartazes. Desde que foi fundado que o partido sempre fez uma grande aposta nas redes sociais.

Ora, como não podia deixar de ser, também Tiago Mayan Gonçalves apostou todos os cartuchos em várias plataformas digitais, mas não tem surtido grandes efeitos. O candidato liberal é dos que tem menos seguidores.

Aquela onde tem tido mais notoriedade é o Facebook (7.239 gostos), seguindo-se o Twitter com 5.145 seguidores, o Instagram com 2.977 e por fim o canal no Youtube com 144 subscritores. 

Uma das publicações que mais interações gerou, está relacionada como debate contra André Ventura, no qual o criticou por admitir que “prefere fechar a torneira a 15 milhões de euros no Rendimento Social de Inserção” para as minorias, mas dar “4.000 milhões” à TAP.

Mayan também integra a lista de candidatos que criou um site oficial de campanha para a corrida a Belém. 

VITORINO SILVA 

O candidato de Rans também tem recorrido a várias plataformas digitais para fazer passar a sua mensagem. Vitorino Silva criou uma página de Facebook dedicada às presidenciais (11.377 gostos), uma conta de Instagram (3.288 seguidores), outra no Twitter (7.140 seguidores) e ainda um canal de Youtube e um site oficial da candidatura

O presidente do partido Reagir Incluir Reciclar (RIR), que se estreou nos debates frente a André Ventura, justificou muitas menções no Twitter, sobretudo depois do momento insólito em tirou cerca de quatro pedras de várias cores do bolso em pleno debate. 

Com base nos dados apurados pelo barómetro do ISCTE, no ranking das contas por total de interações no Instagram vemos André Ventura isolado no primeiro lugar, com quase o dobro das interações de João Ferreira (15.600 vs 8.800). O candidato comunista conseguiu ultrapassar Marisa Matias, sendo que a candidata bloquista alcançou mais de 6 mil interações. De destacar ainda Vitorino Silva, que com 1.800 interações conseguiu ficar à frente Tiago Mayan (1.400).

Já ranking das páginas dos candidatos com mais interações nas últimas semanas no Facebook, André Ventura surge igualmente em primeiro lugar, com uma média de duas publicações diárias, que lhe valeram mais de 70 mil interações. A ocupar a segunda posição está João Ferreira, com mais de três posts por dia, passando assim a perna a Marisa Marias, e ultrapassando a barreira das 23 mil interações. 

A página do candidato comunista também foi a que mais cresceu (6,04%), tendo inclusive conseguido a maior taxa de interação por número de seguidores (7,9%) apenas superada pela sua página pessoal (8,3%). Em terceiro lugar, surge Marisa Matias com um total de 7.000 interações, com uma média de 1,3 publicações por dia. 

Cláudia Évora