O candidato social-democrata à presidência da Câmara de Lisboa, Carlos Moedas, quer criar um seguro de saúde para pessoas maiores de 65 anos com dificuldades económicas e tornar os transportes públicos gratuitos para “avós e netos”.

Estas foram algumas das medidas enunciadas pelo cabeça de lista da coligação “Novos Tempos” (PSD/CDS-PP/PPM/MPT/Aliança) à Câmara de Lisboa, durante a apresentação do seu programa eleitoral, que decorreu esta quarta-feira à tarde no auditório da reitoria da Universidade Nova de Lisboa, em Campolide.

Caso seja eleito, Carlos Moedas pretende também reduzir a taxa de IRS na capital, devolvendo aos lisboetas nos primeiros 100 dias de mandato os "32 milhões de euros que vão para a Câmara de Lisboa".

Ainda em matéria de impostos, o ex-comissário europeu propõe isenção de IMT – Imposto Municipal sobre as Transmissões Onerosas de Imóveis para jovens até 35 anos que comprem habitação própria em Lisboa.

Na área da mobilidade, o candidato destacou a proposta de descontos de 50% “no estacionamento da EMEL para residentes em toda a cidade”.

Caso seja eleito, Carlos Moedas pretende também reduzir a taxa de IRS na capital, devolvendo aos lisboetas nos primeiros 100 dias de mandato os "32 milhões de euros que vão para a Câmara de Lisboa".

Ainda em matéria de impostos, o ex-comissário europeu propõe isenção de IMT – Imposto Municipal sobre as Transmissões Onerosas de Imóveis para jovens até 35 anos que comprem habitação própria em Lisboa.

Esta é uma medida que, a par da transformação de património municipal devoluto em residências para jovens, pretende aumentar a oferta de habitação para esta faixa etária na capital.

No capítulo da Inovação, Carlos Moedas destacou “dois projetos muito concretos”: transformar o “projeto falhado do Hub do Beato” numa “verdadeira fábrica de unicórnios” (empresas que valem mais de mil milhões de dólares) e criar o centro mundial da economia do mar na doca de Pedrouços.

Apresentou ainda o fundador da Feedzai, Nuno Sebastião, como seu comissário para a Tecnologia e Inovação.

Na Cultura, o social-democrata quer que “o Parque Mayer seja um polo de ligação entre o teatro, a educação e a ciência” e avançar com a proposta de “um teatro em cada freguesia”.

Como grandes projetos para a cidade, realçou a importância de “ligar a cidade ao Tejo desde Algés até ao Cais do Sodré”, referindo que isso pode ser feito através “do enterramento parcial da linha ou de um metro de superfície para os lisboetas possam aceder sem barreiras” ao rio.

A sessão de apresentação do programa eleitoral de Carlos Moedas contou com a presença do antigo primeiro-ministro Francisco Pinto Balsemão, do ex-líder do PSD Luís Marques Mendes e da ex-líder do CDS-PP Assunção Cristas, a quem o candidato dirigiu um especial agradecimento.

Na corrida à presidência da autarquia foram até agora anunciadas as candidaturas de Fernando Medina (PS), Carlos Moedas (coligação PSD/CDS-PP/PPM/MPT/Aliança), João Ferreira (CDU), Bruno Horta Soares (IL), Nuno Graciano (Chega), Beatriz Gomes Dias (BE), Manuela Gonzaga (PAN), Rui Tavares (Livre), Tiago Matos Gomes (Volt) e João Patrocínio (Ergue-te)

As eleições autárquicas estão marcadas para 26 de setembro.

/ AG