O Bloco de Esquerda junta-se à maioria dos partidos e defende que as eleições se realizem "o mais depressa possível", devendo ser os partidos a "adaptar os seus processos ao calendário eleitoral".

Numa declaração bastante curta, à saída da audiência com o Presidente da República, Catarina Martins defendeu, também, que, estando o Governo em funções, os aumentos do salário mínimo, pensões, prestações sociais e dos salários da função pública "devem avançar", uma vez que a folga orçamental deste ano "dá para acomodar" essa mudanças.

"O país precisa de definição, não de impasse. (...) Parece-nos impossível antes de 16 de janeiro. A partir dessa data, o Presidente ponderará", afirmou.

A delegação do BE hoje recebida pelo Presidente da República foi composta por Catarina Martins, pelo líder do grupo parlamentar do partido, Pedro Filipe Soares, e pela deputada e membro da Comissão Política Nacional Mariana Mortágua.

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, recebe hoje, em Belém, os partidos com assento parlamentar para discutir a dissolução do parlamento e da data das eleições antecipadas.

As audiências decorrem por ordem crescente de representação parlamentar, tendo o chefe de Estado já recebido a Iniciativa Liberal, Chega, PEV, PAN, CDS, PCP e BE e prosseguindo com o PSD e PS.

Pedro Falardo / Com Lusa