tomou posse

indigitou Passos Coelho 

"O Governo que hoje toma posse tem plena  legitimidade constitucional para governar, conquistou esta legitimidade nas urnas."


"É imprescindível que não subsistam quaisquer dúvidas sobre a fidelidade do Estado aos compromissos internacionais que assumiu. A opção europeia é essencial para a consolidação da nossa democracia. É fundamental para a credibilidade do pais no plano externo."



"Reafirmo uma vez mais o que disse em outubro de 2009 na tomada de posse do Governo: 'a ausência de um apoio maioritário no Parlamento não é por si só um elemento perturbador da governabilidade.' A ausência da maioria não implica o adiamento das medidas que a situação do país reclama. Para qualquer governo o horizonte temporal da ação deve ser sempre ser a legislatura. “

"Quero afirmar-lhe que pode contar com a lealdade institucional do Presidente da República. Tendo em conta os resultados eleitorais assumi a responsabilidade constitucional pela sua indigitação, cabendo agora aos deputados apreciar o programa do governo e decidir, em consciência e tendo em conta os superiores interesses de Portugal, a sua entrada em plenitude de funções." 


tomou posseprimeiro-ministro