Otelo Saraiva de Carvalho fez eco das preocupações proferidas por Cavaco Silva, ontem, na Assembleia da República, sobre a falta de conhecimento dos jovens acerca do 25 de Abril, durante um encontro com a comunidade portuguesa em França.

«Retomo a preocupação do presidente. É lamentável que não tenhamos sido capazes de transmitir às gerações vindouras o que foi o 25 de Abril, o que se produziu em consequência e a diferença entre o que era o país antes e que é hoje», afirmou o oficial de 72 anos, antes de participar numa recepção comemorativa do 25 de Abril na câmara de Feyzin, na região de Lyon.

«É pena que a juventude hoje não tenha essa noção de que o 25 de Abril constitui o acontecimento mais notável da história portuguesa do século XX. O 25 de Abril foi o acontecimento mais notável por duas razões: por ter derrubado uma ditadura de 48 anos e por esse derrubamento ter sido realizado por jovens», acrescentou o antigo dirigente do MFA.

«Tenho orgulho»

«Tenho muito orgulho no meu papel na revolução e é sempre um enorme prazer falar no 25 de Abril», disse ainda o tenente-coronel de 72 anos, diante de um grupo de cem pessoas, antes de partir para uma mesa-redonda sobre o 25 de Abril onde responderá às perguntas do público.

O ex-dirigente do MFA foi recebido este sábado, pelas 18h00, na Câmara Municipal de Feyzin, pelo presidente da Câmara, Yves Blein.

«É uma grande honra receber uma das pessoas que permitiu ao grande povo de Portugal pôr fim a uma ditadura antiga e estéril e abrir caminho a uma democracia moderna», disse o autarca do Partido Socialista.

«Esta recepção é um momento para homenagear a história e a cultura da comunidade de origem portuguesa, que tem um papel importante em Feyzin», acrescentou Yves Blein.

A recepção do tenente-coronel e estratega do 25 de abril é um dos acontecimentos que integra as comemorações do 25 de Abril em Feyzin, na região metropolitana de Lyon, onde vivem cerca de 240 mil portugueses.

PP
Redação / Elza Gonçalves, para Lusa