Todos os partidos com assento parlamentar, à excepção do PCP, concordaram em remeter a discussão sobre a lei do financiamento dos partidos para a próxima legislatura.

Esta manhã foi lida no Parlamento a mensagem em que o Presidente da República justifica o veto à lei do financiamento dos partidos, que mereceu um vivo protesto do deputado comunista Bernardino Soares.

«Alguém nos há-de um dia explicar por que é que receber através de uma transferência bancária um contributo de uma offshore é mais transparente, do que um militante pagar uma pequena cota em dinheiro devidamente registada nas contas do partido», questionou o deputado comunista, citado pela TSF.

Os restantes partidos entendem que a lei deve merecer um consenso alargado, entre os órgãos de soberania.
Redação / CR