"A liberdade editorial foi no sentido de convidar PSD, PS, CDS, PCP, BE e Verdes. Não foi a comunicação social que vetou, tentou e impediu quem quer que seja de estar nos debates, foram dois partidos, PS e PCP, que têm medo do pluralismo, têm medo do debate de ideias", afirmou Nuno Magalhães à Lusa.


"A coligação manifestou disponibilidade para fazer qualquer tipo de debate, numa lógica aberta, quem vetou foi o PS e o PCP", declarou.


não participará no debate televisivo de 22 de setembro

"Face à recusa irredutível do PS e do PCP a que o CDS venha a participar em tal debate [de dia 22 de setembro] consideramos que não estão respeitadas as regras básicas de pluralismo para que estejamos presentes em qualquer modelo deste debate que não respeite a participação de todos os que tendo assento parlamentar desejem estar presentes, no respeito pelo estipulado no n.º 2 do Art.º 7º da Lei 72-A/2015, de 23 de julho", anunciaram em comunicado.