O deputado do CDS-PP Filipe Lobo d´Ávila sublinhou que "o país não se esgota nem se resume" a Lisboa, numa publicação no Facebook na qual colocou uma fotografia da proposta feita por Assunção Cristas para o metropolitano da capital.

Numa publicação na rede social feita na quarta-feira à noite, Lobo d´Ávila, que no último Congresso do CDS apresentou uma lista alternativa à da líder para o Conselho Nacional, diz não conhecer "o plano, a calendarização e o financiamento" da proposta de Assunção Cristas.

Não sei se se esgota em Lisboa ou se há ideias idênticas para outros metropolitanos em funcionamento e em projeto. Seja como for, todos os portugueses merecem igual preocupação. Sem exceções. Esse é o CDS", refere o deputado.

Na quarta-feira, no debate quinzenal com o primeiro-ministro, a presidente do CDS-PP e candidata à Câmara Municipal de Lisboa apresentou a proposta do partido para a expansão da rede do metropolitano de Lisboa, que prevê 20 novas estações.

Na resposta, o primeiro-ministro, António Costa, aludiu ao facto de Assunção Cristas ser candidata à presidência da Câmara de Lisboa nas autárquicas de 1 de outubro.

"Não achei muito leal aproveitar a ausência da deputada Teresa Leal Coelho [candidata do PSD à Câmara de Lisboa] para este momento de campanha eleitoral", disse Costa.

No Congresso do CDS-PP, que se realizou em março de 2016 em Gondomar, não houve disputa interna para a sucessão de Paulo Portas, mas Filipe Lobo D'Ávila quebrou o clima de unanimidade em torno de Assunção Cristas ao apresentar uma lista alternativa ao Conselho Nacional.

Desde então, um grupo encabeçado pelo deputado democrata-cristão tem-se vindo a reunir em jantares mensais, sempre à porta fechada, numa atitude que reclama de lógica de consolidação do documento programático que apresentou ao 26.º Congresso do CDS.

/ AR