O grupo parlamentar do CDS-PP apresentou hoje na Assembleia da República um voto de pesar para evocar Alexandre Soares dos Santos como “um dos empresários mais emblemáticos nos últimos 50 anos em Portugal”.

Alexandre Soares dos Santos, antigo presidente da Jerónimo Martins (JM), morreu na sexta-feira, aos 84 anos.

O voto de pesar que deu hoje entrada na Assembleia da República aponta que, “reconhecido pela sua forte personalidade e pela presença marcante que não deixava ninguém indiferente, Alexandre Soares dos Santos foi um dos empresários mais emblemáticos nos últimos 50 anos em Portugal”.

O CDS-PP lembra o percurso do empresário nascido no Porto e que em 2009 criou “a Fundação Francisco Manuel dos Santos, em honra do seu avô, a forma escolhida por si e pela sua família para estudar os grandes problemas nacionais e levá-los ao conhecimento da sociedade civil”.

Com esta fundação, os centristas consideram que Soares dos Santos “revelou a sua preocupação para com o futuro de Portugal, bem como evidenciou um enorme espírito de serviço público e apoio social que muito contribuiu para o desenvolvimento” do país.

Desde cedo teve um papel relevante na economia, na sociedade e na cultura portuguesas” e enquanto mecenas, o antigo presidente da JM foi “alguém que levou a sério a responsabilidade social do empresário” , refere o voto de pesar.

O seu esforço, juntamente com o de todos os trabalhadores do seu grupo, contribuíram muito para a economia portuguesa que ficará para sempre com a sua marca indelével, e o país com a herança de um dos grandes grupos empresariais nacionais”, sublinha o CDS-PP.

O voto de pesar “ lamenta o desaparecimento de Alexandre Soares dos Santos e apresenta as mais sentidas condolências à família, amigos e trabalhadores, reconhecendo a importância do seu legado para economia nacional”.

Elísio Alexandre Soares dos Santos nasceu no Porto em 1934, começando a carreira profissional em 1957 na Unilever e depois, até 1967, foi diretor de ‘marketing’ da Unilever Brasil, entrando no ano seguinte para o Conselho de Administração da JM como administrador-delegado, cargo que acumulou com o de representante na ‘joint-venture’ com a Unilever.

Em fevereiro de 1996 passou para a presidência do Conselho de Administração da JM, cargo que ocupou até abril de 2003, quando passou a presidente não executivo (‘chairman’), até 18 de dezembro de 2013.

Em 2009, Alexandre Soares dos Santos criou a Fundação Francisco Manuel dos Santos, que gere o portal “Pordata”, Base de Dados do Portugal Contemporâneo, e lançou uma coleção de livros de ensaio, a preços reduzidos, sobre temas da atualidade.