O presidente do CDS-PP marcou esta quinta-feira presença em cinco arruadas ao longo do dia, acompanhando candidatos autárquicos, tirou fotografias com populares e apelou ao voto no partido, para “virar o país à direita”.

Francisco Rodrigues dos Santos começou o dia em Beja, pelas 10:30, seguindo depois para o distrito de Leiria, para mais quatro arruadas – Bombarral, Caldas da Rainha, Alcobaça e Leiria.

Nesta última, que começou já depois das 20:30, o líder acompanhou o candidato à Câmara Municipal de Leiria pela coligação que junta CDS-PP e MPT, Fábio Seguro Joaquim, num périplo pelas ruas do centro histórico da cidade, onde contactaram sobretudo com populares que se encontravam nas esplanadas de cafés e restaurantes da zona.

E foi na Rua Direita que Rodrigues dos Santos deu o mote: “Vamos virar o país à direita nas próximas autárquicas”, disse.

Pelo caminho, ia apresentando o candidato, entregou o programa eleitoral para Leiria e distribuiu canetas.

Enquanto uns aceitavam o brinde, até porque “dá sempre jeito”, outros declinavam: “as propostas sim, a caneta não”.

Pelas ruas, presidente e candidato, a quem se juntou também o líder do MPT, Pedro Pimenta, ouviram desejos de sucesso e até o hino do partido, entoado por uma apoiante.

Ao longo do dia, Francisco Rodrigues dos Santos ia sendo reconhecido “da televisão” e não escapou a alguns elogios, como uma senhora que lhe disse que “tem uns olhos muito bonitos”.

Em cada terra, os candidatos tentavam esticar ao máximo a presença do líder democrata-cristão, indicando que havia sempre mais um local onde a comitiva tinha de passar.

Nas arruadas, tirou fotografias com populares e candidatos e pediu um voto de confiança dos mais velhos aos mais jovens.

Vais estrear-te com o voto no CDS. A primeira vez que votei foi no CDS e tive uma vida feliz”, disse a um rapaz com quem se sentou depois na esplanada e com quem acabou por falar do último jogo do Sporting, clube de qual é adepto e ex-dirigente.

Em declarações aos jornalistas no Bombarral, ao lado da candidata e também sua sogra, Rosa Guerra, o presidente do CDS-PP elencou algumas das “bandeiras fundamentais” do partido, como medidas de incentivo à natalidade, a criação de um parque industrial, descida dos impostos municipais e a implementação de um apoio aos idosos para a compra de medicamentos, o “vale-farmácia”.

“Nós apresentamos uma candidatura forte, com listas em todas as juntas de freguesia, com gente da terra com provas dadas, com currículo, com experiência de vida, que procura responder aos principais problemas que se colocam ao Bombarral”, salientou Francisco Rodrigues dos Santos, indicando que os centristas querem “colocar o Bombarral no mapa e desenvolver económica e socialmente este concelho”.

“Nós somos um partido que não é do passado nem do passivo, não queremos olhar para trás, queremos olhar em frente”, acrescentou, mensagem que repetiu mais tarde em Alcobaça, onde elogiou também o candidato à câmara, António Vieira.

O presidente do CDS-PP tem apontado como objetivo nas eleições autárquicas de 26 de setembro conquistar mais mandatos do que em 2017.

Agência Lusa / AG