O Governo mantém os calendários para o lançamento das obras na ala pediátrica do Hospital de São João, no Porto, até final do ano, disse hoje à agência Lusa uma fonte oficial do Ministério da Saúde.

Pouco mais de uma hora depois de ter sido noticiada a pergunta do CDS-PP ao Governo, através do parlamento, ao executivo sobre um alegado atraso no planeamento das obras, fonte oficial do ministério afirmou que os prazos de adjudicação e de arranque das obras se mantém inalterados, ou seja, no segundo semestre de 2019.

Hoje, o CDS-PP usou declarações do Presidente da República para criticar e perguntar à ministra da Saúde os motivos para “ter atrasado novamente” o lançamento das obras na ala pediátrica do hospital portuense.

Na pergunta, assinada pela deputada Isabel Galriça Neto, o CDS questionava uma alegada contradição no calendário de obras entre o que disse o Presidente da República, no dia de Natal, e o que disse Marta Temido na segunda-feira, em entrevista à Antena 1.

Em 25 de dezembro, Marcelo Rebelo de Sousa afirmou que “há condições para a obra poder arrancar até ao fim do ano” e na segunda-feira a governante disse à rádio pública ser possível “o lançamento da obra no início do ano que vem”.

Na pergunta, a que a Lusa teve acesso, os centristas querem saber o motivo para Marta Temido “ter atrasado, novamente, o arranque da obra” e quais são agora “os calendários precisos para todo o processo inerente a esta obra”.

E termina a questionar se, dado que o Presidente da República se tem "empenhado publicamente na construção da ala pediátrica do Hospital de São João e afirmou publicamente haver condições para a obra poder arrancar até ao fim do ano", deu "conhecimento prévio" a Marcelo Rebelo de Sousa "de mais este adiamento".

O Hospital de São João tem há 10 anos um projeto para construir uma ala pediátrica, mas desde então o serviço tem sido prestado em contentores.

Em janeiro de 2017, o Ministério da Saúde aprovou a construção da ala pediátrica, anunciando um investimento de cerca de 20 milhões de euros.

O parlamento aprovou a 27 de novembro, por unanimidade, a proposta de alteração do PS ao Orçamento do Estado para 2019, de forma a prever o ajuste direto para a construção da Ala Pediátrica, cuja obra o diretor clínico do São João prevê arrancar em 2019 e concluir em 2021.