divulgados dados do Instituto Nacional de Estatística (INE) segundo os quais a economia portuguesa cresceu 0,9% em 2014 e a taxa de desemprego desceu para 13,3%

«É, portanto, caso para dizer, com a independência que todos podemos ter relativamente ao desenrolar dos acontecimentos, que efetivamente o país está melhor e a vida quotidiana das pessoas começa também a absorver essas melhorias. Há mais oportunidades de emprego, há mais investimento, há mais capacidade de a economia poder mostrar todo o seu dinamismo e toda a sua competitividade», declarou Luís Montenegro aos jornalistas, nos Passos Perdidos da Assembleia da República.














«Há cada vez mais um consenso alargado de que Portugal conseguiu recuperar, conseguiu cumprir o programa de ajustamento, está a conseguir crescer, criar emprego, combater a maior fratura social, que é o desemprego. Esse consenso é reconhecido por todos e até esta semana pelo secretário-geral do PS», afirmou Nuno Magalhães, numa referência às declarações de António Costa perante a comunidade chinesa.


«É particularmente significativo se tivermos em consideração que nos últimos dois anos, com exceção de um mês, o desemprego baixou consecutivamente e consistentemente. É mais do que um sinal, é mais do que uma tendência, é uma realidade», afirmou, sublinhando que tenha acontecido também em janeiro, mês em que tradicionalmente há um ressentimento provocado pelo emprego sazonal.