O cabeça de lista europeu da CDU pediu hoje, dirigindo-se ao executivo socialista, a revogação da denominada lei das rendas do Governo PSD/CDS-PP, devido à pressão e especulação imobiliária que tem despejado famílias e comércio tradicional.

Numa "arruada" de campanha eleitoral em Moscavide, João Ferreira teve a seu lado o autarca de Loures, Bernardino Soares, além dos restantes apoiantes, com bandeiras e a companhia de bombos e gaita-de-foles.

"Por diversas vezes, tanto cá [em Portugal] como lá [no Parlamento Europeu, temos levantado esta questão. Há um efeito que resulta da lei das rendas do Governo anterior PSD/CDS, que vem do tempo da 'troika', muito pressionada pela União Europeia para liberalizar o mercado do arrendamento, enfraquecendo a parte fraca dessa relação que é o inquilino. Esteve na origem de múltiplos despejos, tanto de famílias, incluindo nesta zona onde predomina uma população mais idosa, mas também de comércio tradicional", afirmou.

Segundo o eurodeputado comunista, "é necessário alterar esta situação", mas "o PS não se mostrou ainda disponível para revogar a lei das rendas" como a CDU entende ser necessário.

"É necessário prosseguir essa luta pela revogação desta lei, mas também que o Estado tenha maior preponderância nas políticas públicas de habitação", disse.

João Ferreira avançou ainda as ideias de "aproveitar o fundo europeu de desenvolvimento regional para financiar habitação pública e ir mais longe no domínio do fundo de coesão, mobilizando recursos para investir no desenvolvimento de um parque habitacional público disponível para famílias de menores rendimentos, mas também para famílias de rendimentos intermédios e ter um papel de contenção de um mercado dominado pela especulação".