O secretário-geral da CGTP, Carvalho da Silva, lamentou, esta sexta-feira, a morte do escritor José Saramago, que disse ter estado sempre ao lado dos trabalhadores, e deixou a certeza de que será tomado como exemplo. Em declarações aos jornalistas, na sede da CGTP, em Lisboa, Carvalho da Silva disse que a notícia da morte de José Saramago foi recebida «com muita tristeza» pela central sindical que dirige.

«Foi para nós um choque, apesar de sabermos que José Saramago estava mal, e queremos associar-nos à dor que os portugueses e, em particular, os trabalhadores sentem», acrescentou.

Carvalho da Silva descreveu José Saramago como «um grande português, um homem extraordinário da cultura, um escritor fabuloso, mas também uma personalidade humana de uma dimensão muito grande».

«Com ele partilhámos reflexões diversas, recordo-me que participou em muitas iniciativas da CGTP: Sempre esteve ao lado dos trabalhadores, mesmo nos últimos anos, tivemos oportunidade até de partilhar com ele a alegria do prémio Nobel», referiu.

«Queremos deixar à família e, em particular, à Pilar um grande abraço solidário e a certeza de tomarmos em nossas mãos o exemplo do Saramago», concluiu Carvalho da Silva.
Redação / MM