O Conselho Nacional do PSD, o órgão máximo do partido entre congressos, reúne-se na quarta-feira, em Lisboa, com a "análise da situação política" na agenda e a uma semana no início da discussão do Orçamento.

A reunião dos conselheiros nacionais sociais-democratas está agendada para as 21:00, num hotel em Lisboa, e a ordem de trabalhos tem apenas dois pontos: "informações" e "análise da situação política".

O encontro, onde deverá ser anunciada a saída do vice-presidente do PSD Jorge Moreira da Silva da direção do partido, depois da sua eleição para o cargo de diretor da Cooperação para o Desenvolvimento da OCDE, acontece a uma semana do início da discussão na generalidade da proposta do Governo de Orçamento do Estado (OE) para 2017, que irá decorrer nos dias 03 e 04 de novembro, na Assembleia da República.

Ao contrário do que aconteceu com o OE para 2015, quando os sociais-democratas optaram por não apresentar qualquer proposta de alteração ao documento, agora o líder do partido, Pedro Passos Coelho, já anunciou que a estratégia será diferente.

No domingo, em Santarém, Passos Coelho adiantou que o partido irá apresentar propostas relacionadas com investimento, sustentabilidade das finanças públicas e segurança social.

Os contributos do partido, revelou, incidirão sobre "aspetos mais estruturais".

Já na semana passada, o líder parlamentar do PSD, Luís Montenegro, tinha dito que as propostas do partido para o OE para 2017 serão sobre "áreas estruturantes" e não "propostas avulsas", porque os sociais-democratas se recusam a entrar no "leilão de propostas orçamentais".

Os sociais-democratas não revelaram, contudo, ainda qual será o sentido de voto do partido na votação na generalidade da proposta do Governo do OE para 2017.

O último Conselho Nacional do PSD realizou-se antes das férias de verão, a 21 de julho, numa reunião onde o presidente do partido fez um balanço da primeira sessão legislativa do Governo PS, antevendo um cenário negro económico-social em Portugal, "muito antes das autárquicas" de 2017.

Nessa reunião, o PSD aprovou ainda os princípios estratégicos para as eleições autárquicas do próximo ano, incluindo o calendário de apresentação de candidatos, entre outubro próximo e abril de 2017.

No documento, além dos prazos, ficou também inscrita a "orientação geral de apoiar a recandidatura a um novo mandato" dos presidentes de câmara que estejam ainda em condições de o fazer.

São conselheiros nacionais os membros da mesa do Congresso, que constituem também a mesa do Conselho Nacional, 70 membros eleitos em Congresso, dez representantes da JSD, cinco representantes dos TSD e cinco representantes dos ASD.

Integram ainda o Conselho Nacional os presidentes das distritais, dois representantes de cada comissão política regional e dois representantes de cada círculo eleitoral emigração

Participam, sem direito de voto, a comissão política nacional, o conselho de jurisdição nacional, a direção grupo parlamentar e o coordenador do grupo dos deputados do PSD no Parlamento Europeu.