O presidente da Câmara de Faro avançou esta segunda-feira que o concelho, que estava em alerta, vai "certamente" recuar.

O próximo conselho de Ministros vai fazer com que no concelho de Faro e mais alguns concelhos do Algarve as restrições aumentem", explicou Rogério Bacalhau.

O autarca justifica a sua crença com os números que indiciam o problema sanitário no concelho e pede que seja estudada uma nova forma de abordar o problema pandémico na região.

"Vamos ter de fechar certamente a partir das 15:00 horas ao fim de semana. A par da questão sanitária, vai ser mais uma machadada no turismo e na região", disse Rogério Bacalhau, que falou à TVI num dos centros de vacinação de Faro.

Num momento em que o concelho está a administrar uma média de 700 vacinas por dia, o presidente da Câmara apela a que todos, especialmente os mais jovens - que esta segunda-feira estão a começar a ser chamados para a vacinação - , sejam imunizados. No entanto, o crescendo de novos casos e a ação da variante Delta fazem com que o alento seja cada vez mais reduzido.

Vamos ter um inverno nestes períodos de julho, agosto e setembro e vamos enfrentar uma época baixa ainda mais complicada", antecipou Rogério Bacalhau que descreveu a situação económica no Algarve como "muito débil".

Na sua ótica, Faro certamente vai ter muito mais desemprego e muitas mais famílias carenciadas nos próximos meses. Um problema ampliado pelo final do verão e o fim de contrato de "muitos trabalhos temporários". "o numero de pessoas a precisar de ajuda vai aumentar logo que passe o verão".