demitir-se de ministro da Administração Interna





«Sempre que houve necessidade de substituir membros do Governo, o presidente do partido e primeiro-ministro fê-lo com sabedoria e com eficácia»


«Ainda assim, o doutor Miguel Macedo entendeu que, tendo em conta a especial responsabilidade que recai sobre um ministro como o da Administração Interna, e a necessidade de manter uma inquestionável autoridade política no exercício dessas funções, não estavam reunidas as necessárias condições para permanecer no seu cargo. É, sublinho, uma atitude que revela uma imensa dignidade da parte do doutor Miguel Macedo»






«Esta é uma demissão de um ministro que entendeu que não tem condições políticas para se manter em funções. Não vejo quaisquer outras consequências para além dessas»






Miguel Macedo «foi um ministro que assumiu sempre o espirito da coligação no seu setor» e que «manteve a lei e ordem com firmeza sem com isso precludir liberdades ou garantias». «Quero dizer em nome do CDS - partido para o qual a questão da segurança é muito importante - que Miguel Macedo fez um mandato francamente bom como MAI»


Redação / VC