O secretário-geral do PS, António Costa, lamentou, este sábado, a morte do antigo secretário de Estado e deputado constituinte dos socialistas Miranda Calha, considerando que dedicou a sua vida à construção e consolidação do Estado Democrático.

O PS rende homenagem à memória de Júlio Miranda Calha, que dedicou toda a sua vida à construção e consolidação do Estado Democrático, como parlamentar, governante, dirigente e militante", refere uma nota de António Costa enviada à agência Lusa.

O secretário-geral do PS lembra depois que Miranda Calha foi eleito deputado à Assembleia Constituinte em 1975 e foi sucessivamente reeleito até à última Legislatura, tendo-se dedicado em especial à política de Defesa Nacional.

À sua família e amigos, apresentámos as condolências dos seus camaradas", acrescenta-se na nota do líder socialista.

Ferro manifesta "grande tristeza"

O presidente da Assembleia da República afirmou que recebeu com "grande tristeza" a notícia da morte do antigo secretário de Estado e deputado socialista, considerando que ainda tinha muito para dar ao país.

Numa mensagem enviada à agência Lusa, Ferro Rodrigues afirma ter recebido "com grande tristeza a notícia do falecimento, considerando que Miranda Calha "serviu, como poucos, a causa pública".

Deputado à Assembleia Constituinte e à Assembleia da República (da I à XII Legislatura, assumindo a vice-presidência entre 2014 e 2015), foi também governador civil, presidente da Câmara e da Assembleia Municipal de Portalegre, terra que o viu nascer em 1947. Como Membro do Governo, tutelou as pastas da Administração Regional e Local, do Desporto e da Defesa Nacional, de que foi Secretário de Estado", referiu Ferro Rodrigues.

O presidente da Assembleia da República aponta depois que Miranda Calha "era, atualmente, presidente da Comissão Portuguesa do Atlântico, na qual vinha defendendo o papel de Portugal na cena internacional, em defesa do multilateralismo e de uma ordem global assente no direito internacional".

Neste tempo exigente, feito de incertezas, em que muito do que tínhamos por adquirido é contestado, far-nos-á muito falta Júlio Miranda Calha, que, com o seu conhecimento, tanto tinha ainda para nos dar", salienta Ferro Rodrigues na sua mensagem de pesar.

Ana Catarina Mendes lembra "lutador pela liberdade"

A presidente do Grupo Parlamentar do PS considerou  que o antigo deputado e secretário de Estado socialista Miranda Calha foi um lutador pela liberdade, pela democracia e pela dignificação das instituições do Estado Português.

A perda de Miranda Calha deve relembrar-nos, socialistas, o papel corajoso e destemido que teve na transição para o Portugal democrático, em particular no distrito de Portalegre, sempre lutando pela liberdade e pela democracia, pelo Estado de Direito e pela dignificação das nossas Instituições", escreveu Ana Catarina Mendes numa nota de pesar do Grupo Parlamentar do PS pela morte do seu antigo secretário de Estado e deputado constituinte.

Para a líder da bancada socialista, Miranda Calha foi "um socialista que se notabilizou pelo trabalho desenvolvido ao longo de toda a sua vida nos vários cargos que ocupou, partidários, públicos e internacionais".

Miranda Calha foi deputado à Assembleia Constituinte e à Assembleia da República entre 1976 e 2019, foi vice-presidente da Assembleia da República, desempenhou os cargos de secretário de Estado do Desporto, secretário de Estado da Administração Regional e Local, secretário de Estado da Defesa e governador Civil de Portalegre, bem como cargos e funções nacionais e internacionais, que muito honraram o Parlamento e o PS", refere.

Ana Catarina Mendes deixa ainda uma referência de caráter pessoal sobre Miranda Calha.

De um humor fino, contagiante e inteligente na apreciação da construção da sociedade democrática, deixa saudades a todos quantos com ele tiveram o privilégio de se cruzar. Com esta perda estamos todos de luto", salienta.

 
/ MM