O primeiro-ministro considerou esta quinta-feira que, na sequência do desastre com um autocarro na Madeira, que provocou 29 mortos, a prioridade é tratar dos feridos, assegurar rápida assistência às famílias das vítimas e esclarecer as causas do acidente.

Em declarações à agência Lusa, António Costa afirmou que o desastre do autocarro que transportava turistas de nacionalidade alemã, na quarta-feira, no município de Santa Cruz, na ilha da Madeira, constituiu "um momento muito triste para todos, motivo de luto nacional".

Quero expressar relativamente à Região Autónoma da Madeira, como já tive a oportunidade de transmitir à chanceler [alemã] Angela Merkel, a nossa solidariedade e o nosso pesar por este trágico acidente, cujas causas importa apurar, mas que, seguramente - temos de compreender -, não mancham o prestígio internacional da Madeira como grande destino turístico", salientou o líder do executivo.

Neste momento, segundo António Costa, "a primeiro grande preocupação é tratar dos feridos, assegurar uma rápida assistência às famílias das vítimas, mas, também, apurar as causas para que possa ficar absolutamente esclarecido este acidente".

O Governo decretou hoje três dias de luto nacional em memória das vítimas do acidente com um autocarro de turismo na Madeira, que fez pelo menos 29 mortos.

O Conselho de Ministros aprovou hoje o decreto que declara os dias 18, 19 e 20 de abril como dias de luto nacional, como forma de expressão de pesar e de solidariedade de toda a população nacional para com as vítimas, e suas famílias, do trágico acidente com um autocarro de turismo, na Região Autónoma da Madeira, que provocou a perda irreparável de vidas humanas", lê-se num comunicado hoje divulgado.

Pelo menos 29 pessoas morreram no acidente com um autocarro que transportava turistas alemães em Santa Cruz, na Madeira.

Uma das vítimas morreu no hospital central do Funchal, onde deram entrada outros 27 feridos, dois dos quais portugueses.

As vítimas mortais, 11 homens e 18 mulheres, são todas alemãs.