As fronteiras portuguesas com Espanha vão continuar encerradas e os nove pontos de passagem exclusivos vão manter-se até 15 de maio, anunciou o ministro da Administração Interna, admitindo igualmente que o estado de emergência deverá ser renovado por um terceiro período, por estar o Governo "em sintonia" com a vontade já manifestada do Presidente da República de manter o estado de exceção em vigor. 

O ministro da Administração Interna anunciou ainda, esta segunda-feira, que já foram detidas 126 pessoas durante o segundo período do estado  de emergência, apresentando dados contabilizados até ao meio-dia.  

Destas detenções, 28 foram por violação da obrigação de confinamento, "os casos mais graves", sublinhou o ministro, de pessoas "que estão sujeitas a isolamento profilático"; 59 detenções foram por violação do dever geral de recolhimento, oito por tentativa de violação da regra em vigor no período de Páscoa que proíbe passagem entre concelhos, onze por manutenção da abertura de forma irregular de estabelecimentos, sete detenções por resistência às autoridades e ainda 13 detenções por violação das regras da cerca sanitária de Ovar. 

O ministro agradeceu, porém, o "inexcedível civismo" dos portugueses, que cumpriram as indicações das forças de segurança "e passaram a Páscoa em casa", contribuindo para que seja controlada a fase de mitigação da pandemia de Covid-19 em Portugal, dirigindo ainda uma palavra de agradecimento às forças de segurança que estiveram nas estradas de todo o país "trabalhando pela segurança de todos os portugueses".

Eduardo Cabrita anunciou ainda que, neste momento, há 163 agentes da PSP e militares da GNR infetados com Covid-19.

Bárbara Cruz