“Precisamos muito de multiplicar esses exemplos em Portugal, porque temos menos capital financeiro que desejamos e precisamos, quer para absorver desemprego quer para criar riqueza no futuro e falta-nos ainda ter as qualificações necessárias ao nível da gestão para poder aproveitar esse capital e transformá-lo cada dia em novos objetivos que tragam bem-estar e prosperidade ao nosso país”, salientou.


“Se quisermos continuar a aperfeiçoar esta maneira de estar em Portugal, temos de deixar para trás das costas os fatalismos e alguma acomodação e de abrir sempre para futuro novos horizontes, acolhendo quem tenha novas ideias e mostre ter mérito para transformar aquilo que temos no que de melhor se pode fazer em todo o mundo”, frisou.
















Casa do Douro conhece na próxima semana resultado de concurso para nova gestão 





“Julgo que assim teremos condições para passar a uma nova fase que não vai resolver tudo, porque continuamos a ter vários problemas no Douro, mas que nos dará outros instrumentos para os poder resolver e não há dúvida de que precisamos de ter capacidade de gestão e de investimento”, salientou Passos Coelho.