O secretário-geral do PS, António Costa, criticou “as posições de inconsistência” do PSD e manifestou-se “perplexo” com o “grau de desconhecimento” de Rui Rio sobre a economia.

Ficam cada vez mais claras as posições de inconsistência de Rui Rio e em particular do PSD”, disse aos jornalistas António Costa no final do segundo e último frente a frente entre os líderes do PSD e do PS, organizado pelas rádios Antena 1, Rádio Renascença e TSF.

Segundo o secretário-geral do Partido Socialista, a inconsistência das posições políticas do PSD são "evidentes" na “trapalhada do aeroporto”, na questão dos passes sociais, na greve dos motoristas de matérias perigosas e em matéria fiscal.

Fico até perplexo com esta realidade e fico também perplexo quando vejo uma pessoa que é economista falar sobre o défice externo de um país desconhecendo que temos uma balança externa que está positiva”, sublinhou, sustentando que fica “muito surpreendido” que Rui Rio “tenha este grau de desconhecimento” sobre o que está a acontecer na economia.

Sobre Mário Centeno e se vai ficar no cargo de ministro das Finanças até ao final da legislatura, caso o PS ganhe as eleições de 6 de outubro, António Costa destacou que “Mário Centeno está plenamente em funções, é candidato a deputado e participou na elaboração do programa do governo”.

Aquele dr. Sarmento que o Dr. Rui Rio chama o seu Centeno nem sequer nas listas de deputado está. E pior, escreveu um livro onde se propunha a eliminar as 35 horas e repor as 40 horas de trabalho na administração pública”, frisou.

Rui Rio revela que o seu "Centeno" é Joaquim Sarmento

O líder do PSD, Rui Rio, disse que o seu "Centeno" é Joaquim Sarmento, porta-voz do Conselho Estratégico Nacional do PSD para a área das Finanças Públicas e mandatário nacional do partido.

O meu 'Centeno' é o professor Joaquim Sarmento”, disse aos jornalistas no final do frente a frente, em que elogiou o trabalho do responsável pela área das finanças no partido, mas não especificou de quem se tratava.

No final do debate, o presidente do PSD revelou que se trata de Joaquim Sarmento e que vai ficar “até ao fim” da legislatura, caso o PSD seja eleito a 6 de outubro, ao contrário de Mário Centeno.

Mário Centeno já foi claro e disse que se o Partido Socialista ganhar as eleições está disponível para ficar no Ministério da Finanças enquanto for presidente do Eurogrupo, porque quer ser presidente do Eurogrupo”, disse Rui Rio.

O presidente do PSD afirmou ainda que o presidente do Eurogrupo muda no fim do primeiro semestre de 2020.

/ JFP