O presidente do CDS-PP nos Açores, Artur Lima, também vice-presidente nacional do partido, defende que, na sequência dos resultados obtidos nas legislativas de domingo, o partido «não deve ir» para o Governo da República.

De acordo com a Lusa, Artur Lima afirmou que «neste momento, não é líquido que haja uma coligação a nível nacional e, se quer a minha opinião sincera, e falo como presidente do CDS nos Açores, acho que o CDS não deve ir para o Governo de Portugal com estes resultados»,disse em Angra do Heroísmo depois de conhecidos os resultados eleitorais.

Artur Lima salientou que «ainda não está decidido no partido» que possa ser feita uma coligação com o PSD, recordando que os centristas faziam «depender uma coligação a nível nacional da força» que o partido alcançaria nas eleições legislativas.

«Há várias alternativas e soluções de Governo e de estabilidade parlamentar, uma delas é um acordo de incidência parlamentar, onde o CDS possa fazer aprovar algumas das suas propostas, que, em alguns casos, são perfeitamente divergentes das propostas do PSD», referiu.

Artur Lima frisou que o CDS-PP «não está, nem nunca esteve com sede de poder», assegurando que o partido «será uma referência de estabilidade em Portugal».

Nas eleições legislativas de domingo, o CDS-PP não conseguiu fazer eleger para a Assembleia da República o seu cabeça de lista pelos Açores, que era Artur Lima, tendo ficado, segundo os números do partido, muito perto de alcançar esse objectivo.
Redação / SC