A campanha da CDU está este sábado no distrito de Lisboa, num dia em que Jerónimo de Sousa, dificilmente assistirá ao debate entre os líderes do PS e do PSD, que diz que não terá «surpresa».

Mesmo sem querer fazer antecipações, o candidato da CDU afirma que, nos frente-a-frente entre os cabeças-de-lista, «aquilo que é determinante são os conteúdos programáticos» e neste debate «não vai haver surpresa nem nenhum acontecimento».

«Basta olhar para os programas, particularmente aquilo que é estruturante: política económica, política europeia, política fiscal», salienta.

«Pode haver luta entre quem, no essencial, defende a mesma coisa?», questionou, reconhecendo diferenças entre os dois partidos, nomeadamente quanto ao TGV ou as privatizações, mas encontrando também semelhanças, na proposta de combate ao défice das contas públicas.

Jerónimo de Sousa voltou a alertar contra o que disse ser, «um embuste» e «uma aldrabice», de que a escolha nas eleições de 27 de Setembro é entre Sócrates e Ferreira Leite.

Debate entre Sócrates e Ferreira Leite "sublinhará" convergência de quem tem governado

O líder bloquista esclarece que o debate televisivo desta noite entre Sócrates e Ferreira Leite irá «sublinhar» a convergência de quem tem governado o país, defendendo que o confronto reforçará a posição do Bloco de Esquerda.

Questionado pelos jornalistas sobre se o frente-a-frente irá contribuir para acabar com a maioria absoluta, o líder bloquista voltou a manifestar uma grande confiança no resultado do seu partido: «A maioria absoluta já acabou em Portugal», disse.
Redação / AB