O parlamento voltou esta sexta-feira a falhar a eleição de dois elementos efetivos - um do PS e outro do PSD - para o Conselho Superior de Informações, nomes cuja aprovação requeria voto favorável de dois terços dos deputados.

A lista para o Conselho Superior de Informações apresentava como candidatos efetivos Francisco José Pereira de Oliveira (PS) e André Coelho Lima (PSD) e como suplentes Joana de Sá Pereira (PS) e Carlos Eduardo Reis (PSD).

Num total de 208 votantes, estes deputados, que já tinham chumbado em julho passado, num processo de eleição que se arrasta no parlamento há mais de um ano, tiveram apenas a aprovação de 129, registando-se 65 brancos.

Ao contrário do Conselho Superior de Informações, o parlamento conseguiu eleger os membros da Comissão Independente de Acompanhamento e Fiscalização das Medidas Especiais de Contratação Pública, numa lista que tem como presidente Ana Gouveia e Freitas Martins (PS) e como membros João Alexandre da Silva Lopes (PSD) e Sara Younis Augusto de Matos (PS).

De acordo com a mesa da Assembleia da República, esta lista recebeu 148 votos a favor, 58 brancos e oito nulos.

Finalmente, o parlamento também conseguiu os dois terços necessários para aprovação de representantes para o Conselho Superior dos Tribunais Administrativos e Fiscais.

A lista para este órgão, que apresenta como efetivos Francisco Paes Silva Marques (PS), Paula Margarida Cabral dos Santos Veiga (PS), Filipe Carlos Ferreira Avides Moreira (PSD) e Joaquim Manuel Freitas da Rocha (PSD), teve 146 votos a favor, 53 brancos e nove nulos.

Agência Lusa / BMA