José Sócrates levou esta noite «a aragem da vitória» ao Coliseu do Porto. Nas palavras de Elisa Ferreira, «a presença de José Sócrates é muito bom sinal. Ele traz a aragem da vitória e a uma vitória segue-se outra». As palavras proféticas da candidata do PS à autarquia fecharam os discursos no comício/concerto onde Rui Reininho e Pedro Abrunhosa cantaram por Elisa.

Momentos antes, a sala de espectáculos da cidade, que não chegou a encher, ouviu o secretário-geral dos socialistas dizer que «a Elisa tem as qualidades políticas e pessoais para ser uma grande presidente de câmara».

«Venho aqui apoiar a Elisa. A Elisa é uma mulher capaz de fazer obra, uma mulher que não passará a vida a explicar por que não é possível fazer nada».

E prosseguiu: «É uma mulher que gosta de fazer coisas. Não é provinciana, ela olha para o Porto como uma grande cidade europeia».

Segundo o primeiro-ministro, a candidata socialista é, por outro lado, «uma mulher que percebe a importância da oferta cultural, um aspecto decisivo para a afirmação do Porto. Todas as pessoas da cultura apoiam a Elisa Ferreira no Porto».

«Daqui por oito anos, vai demorar horas a enumerar o que fez»

«Tenho a certeza de que se for eleita, daqui por oito anos, quando lhe perguntarem o que fez, ela certamente demorará várias horas a responder». Por contraponto com «alguns que, se lhe perguntarem o que fizeram nos últimos oito anos, terão alguma dificuldade em responder», atirou, numa alusão ao presidente da Câmara e candidato do PSD/PP, Rui Rio. «O país precisa do Porto», assegurou o primeiro-ministro.

Teixeira dos Santos: «O Porto está moribundo»

«O Porto está doente, moribundo e a esvaziar-se», garantiu, por seu lado, o ministro Teixeira dos Santos, agora na pele de candidato do PS à Assembleia Municipal.

«No domingo passado, o Porto deu um exemplo ao país. Votou claramente num projecto para modernizar Portugal. E ao dar esse sinal não pode ser senão coerente com esse voto».

«O que queremos para o país também devemos querer para a nossa cidade». Para o candidato socialista «só há um voto capaz de revitalizar o Porto». «Venham no dia 11 votar na Elisa, mas não venham sós. Tragam os vossos amigos».

«Estamos a chegar à meta. A vitória está ao nosso alcance»

Mal subiu ao palco, Elisa tratou de lembrar que «é muito difícil dizer o que se fez no Porto, durante os últimos oito anos, mas muito fácil dizer o que ficou por fazer».

«Olhem para o nosso Bolhão, para o centro histórico, para a nossa Sé, para Campanhã». O combate à desertificação da cidade «que todos os dias perde 18 pessoas» e a atracção de investimento que combata o desemprego são as grandes apostas da candidata socialista.

«Estamos a chegar à meta. A vitória está ao nosso alcance. Temos uma semana de trabalho pela frente», rematou.

Abrunhosa compara Rio a Franco

Pedro Abrunhosa, o número três da lista à Assembleia Municipal, cantou e criticou ...Rui Rio, «um ilusionista, que esconde as contas públicas» e comparou-o mesmo a «Franco, na Espanha dos anos 50, quando expulsou os artistas».

Além disso, ainda deixou um aviso «aos amigos do Bloco de Esquerda»: irá «de certeza» assumir o seu cargo na Assembleia Municipal. «Vamos cruzar-nos lá muitas vezes».

Cláudia Rosenbusch