O recém-eleito presidente da Câmara de Cascais, Carlos Carreiras avançou esta segunda-feira que Miguel Pinto Luz não irá avançar com uma candidatura à liderança do PSD.

Em entrevista à TVI, Carreiras disse achar que Rio pode não se candidatar e foi confrontado com alguns nomes possíveis para uma eventual remodelação. Miguel Pinto Luz, Paulo Rangel e Luís Montenegro.

“Eu tenho alguma informação privilegiada em relação ao engenheiro Miguel Pinto Luz e sei que não avançará, acredito que outros tenham esse ensejo de avançar.”, disse, depois de já ter sustentado que Rui Rio não será o líder certo para as legislativas, mesmo depois de a vitória de Carlos Moedas lhe ter concedido algum fôlego.

O social-democrata adianta ainda que existe atualmente “um bom entendimento” entre Paulo Rangel e Pinto Luz, uma aproximação que revelaria “um grande reforço” para uma eventual candidatura de Rangel, já que nas últimas eleições Miguel Pinto Luz conseguiu arrecadar 10% dos votos internos do partido.

E Luís Montenegro? “Nestas eleições autárquicas, perdeu algum espaço”, diz o presidente da Câmara Municipal de Cascais, referindo que o ex-deputado perdeu em alguns concelhos - como Espinho - em que tem uma influência acrescida.

Dito isto e questionado se já é demasiado tarde para Paulo Rangel recuar, Carreiras refere que existe sempre margem e sublinha que não é claro que a vitória de Carlos Moedas em Lisboa seja “uma apoiante a Rui Rio” ou a quem designe como sucessor.

Carreiras considera que o resultado autárquico nacional foi "bom", mas não o suficiente para garantir uma afirmação do PSD num panorama maior. "Não era expectável uma viragem por completo por parte do PSD", reitera, adiantando que aquilo que foi observado nas urnas não será suficiente para afastar candidaturas à liderança dos sociais-democratas.

O autarca afirma também que o balão de oxigénio que Rio ganhou permite-lhe percorrer dois cenários. "Ou, de facto, dá-lhe a capacidade de ser novamente candidato à presidência do partido. Ou, daquilo que posso interpretar, Rui Rio está farto, cansado" e pode aproveitar o momento "para dizer eu fiz as eleições autárquicas, tive um bom resultado, saio em grande e, portanto, entrego o partido a quem o queira". "Francamente, creio que isto é provável", assevera Carreiras.

No caso de Rui Rio não avançar, o autarca sublinha que poderão aparecer figuras próximas dele para disputa da liderança. De qualquer forma, Carreiras avança ainda que não estará envolvido em nenhum apoio a qualquer candidato. "Ficarei a assistir com interesse, mas não vou interferir". 

“Rui Rio conseguiu inverter a tendência de queda que o PSD vinha a registar desde 2013”, afirma. No entanto, explica que o líder da oposição “não subiu significativamente o número de votos e de câmaras”. 

Finalmente, se Rio decidir apostar na continuidade, Carreiras diz que isso poderá ser um excelente resultado para António Costa, já que Paulo Rangel “tem capacidade para fazer uma oposição mais agressiva e de evidenciar as falhas do governo socialista”.