O Presidente da República, Cavaco Silva, vai receber na quinta-feira, às 15:15, José Sócrates na qualidade de secretário-geral do PS, divulgou esta tarde a Presidência da República.

«O Presidente da República recebe, em audiência, o secretário-geral do Partido Socialista, Eng. José Sócrates», refere uma adenda à agenda de Cavaco Silva.

Escutas: provedor não está «esclarecido»

O encontro entre Cavaco Silva e José Sócrates vai acontecer quatro dias depois das eleições legislativas de domingo, que o PS venceu com maioria relativa, e dois dias depois de o Presidente da República ter feito uma declaração acusando «destacadas personalidades do partido do Governo» de «manipulação» para o encostar ao PSD e «desviar as atenções».

Na declaração de terça-feira, Cavaco Silva disse também que a divulgação pelo Diário de Notícias de um e-mail trocado entre jornalistas do Público, no dia 18 de Setembro, o levou a interrogar-se sobre a possibilidade de alguém do exterior aceder à informação confidencial contida nos computadores da Presidência da República.

Cavaco Silva adiantou que, por isso, ouviu na terça-feira entidades com responsabilidades na área da segurança, ficou a saber - que existem vulnerabilidades - e pediu que fosse estudada a forma de as reduzir.

Presidência tem uma direcção de serviços de informática

Em resposta, horas depois, o dirigente nacional do PS Pedro Silva Pereira contrapôs que a suposta vigilância ou escutas feitas pelo Governo ao Palácio de Belém «foi a única manipulação que se registou neste caso lamentável».

«Uma grave manipulação da verdade com o objectivo único de prejudicar o PS e o Governo», considerou o ministro da Presidência.

Sócrates, afirmou-se empenhado em manter com o Presidente da República uma relação «institucionalmente adequada e correcta».

De acordo com a Constituição, «o primeiro-ministro é nomeado pelo Presidente da República ouvidos os partidos representados na Assembleia da República e tendo em conta os resultados eleitorais».
Redação