O ministro da Administração Interna admite que não gosta de ter de prestar contas sobre o que o país faz com o dinheiro.

Miguel Macedo diz que quanto mais depressa a troika sair de Portugal melhor. «Não quero ter de prestar contas de três em três meses a quem nos vem perguntar o que fizemos ao dinheiro que nos emprestaram. Quanto mais depressa sairmos desta situação e recuperarmos a nossa soberania financeira, melhor», afirmou.

«A opção é muito clara: ou permanecemos quietos, não mexemos em nada e então continuamos alegremente a resvalar para a insustentabilidade do país e para oempobrecimento das pessoas, ou por uma vez mais os portugueses mostram não ter medo», acrescentou.
Redação / CP