O Presidente da República assegura que nunca veta um diploma «sem estar absolutamente seguro» de que tem «razões muito fortes» para exercer esse direito do chefe de Estado.

Confrontado com o veto à nova lei do financiamento dos partidos e das campanhas eleitorais, Cavaco Silva explicou: «Eu nunca exerço um veto sem estar absolutamente seguro de que tenho razões muito fortes para exercer esse direito do Presidente da República, foi o que fiz agora».

Cavaco chumba lei do financiamento de partidos. Veja aqui as reacções

O Presidente da Republica já promulgou mais de 1.500 diplomas e exerceu «o direito de veto em relação a alguns, cerca de 0,5 por cento», recordou aos jornalistas. «Quando faço um veto tenho o cuidado de justificá-lo em detalhe perante os deputados ou perante o Governo. Foi aquilo que fiz agora, há uma mensagem enviada à Assembleia da República que, de uma forma detalhada, explica as minhas razões», vincou.

Para além disso, Cavaco Silva apelou para que os portugueses lessem a justificação aqui.
Redação / FC