O CDS-PP insistiu no Parlamento, durante a discussão da moção de censura contra o Governo, mas o primeiro-ministro nunca respondeu. Nunca esclareceu que «alegados erros» cometeu ao longo da legislatura.

Mal saiu da sala do plenário, e quanto confrontado pelos jornalistas, José Sócrates lá quebrou o pequeno tabu, admitindo um erro cometido ao longo do seu mandato:

«Toda a gente comete erros e se pudesse voltar atrás faria algumas coisas de forma diferente. Querem um exemplo? Então vou dar-vos um exemplo, terão aí uma notícia. Se há um erro que é possível identificar ao longo destes anos é que talvez deveríamos ter investido mais em cultura, tal como fizemos em ciência, pois foi um campo em que muitos indicadores melhoraram».

O primeiro-ministro falou de uma pasta que até foi remodelada a meio do caminho, mas já pensa no futuro. «Acho que na próxima legislatura devemos ter uma redobrada atenção para com a cultura», frisou, pensando já na vitória.
Redação / Aline Raimundo