A CDU vai eleger um segundo deputado ao Parlamento Europeu, concluiu hoje a secretaria-geral do Ministério da Administração Interna, numa altura em que o escrutínio no território nacional estava fechado e faltava apurar apenas sete consulados no estrangeiro.

De acordo com a secretaria-geral daquele ministério, o PS obtém nove mandatos, o PSD seis, o BE dois, a CDU dois, o CDS-PP um e o PAN também um, no universo dos 21 eurodeputados de Portugal no Parlamento Europeu.

"Com os resultados de inscritos e votantes já disponíveis (177.356 inscritos e 1.447 votantes) dos consulados que têm suspenso o apuramento por estarem a aguardar, para apuramento, os votos de mesas com menos de 100 eleitores, é possível concluir pela certeza da distribuição dos mandatos a atribuir na plataforma às candidaturas: PS-Partido Socialista: 9 (nove) mandatos; PPD/PSD - Partido Social Democrata 6 (seis) mandatos; B.E. - Bloco de Esquerda 2 (dois) mandatos; PCP-PEV - CDU Coligação Democrática Unitária 2 (dois) mandatos CDS/PP - CDS-Partido Popular 1 (um) mandato; PAN-PESSOAS-ANIMAIS-NATUREZA 1 (um) mandato", lê-se no portal que acompanha os dados do escrutínio.

O portal da secretaria-geral do MAI indica, contudo, que falta ainda atribuir cinco mandatos, mas refere que essa extrapolação, sobre os eurodeputados em falta, pode fazer-se "com certeza".

Cerca das 13:30, segundo dados correspondentes ao apuramento de 99,78% dos votos, o PS tinha sete eurodeputados eleitos (33,39%), o PSD quatro (21,94%), o BE dois (9,82%), a CDU um (6,88%), o CDS-PP um (6,195) e o PAN também um (5,08%), num total de 16 mandatos atribuídos.

A abstenção estava, à mesma hora, nos 68,4%, quase dois pontos percentuais acima dos 66,16% de 2014.