António Costa entrega esta terça-feira em Belém o novo elenco governativo. A reunião semanal entre o Presidente da República e o primeiro-ministro foi antecipada para o fim da tarde desta terça-feira, por causa da viagem de Costa a Bruxelas na quarta.

Quanto ao próximo governo esperam-se poucas saídas e algumas caras novas. Há urgência na formação do Governo e a tomada de posse poderá ser já na próxima semana.

Para já sabe-se que Vieira da Silva, Francisca Van Dunem e Ana Paula Vitorino vão abandonar o Executivo. É ainda sabido que o ministério do Trabalho e Segurança Social poderá ser transformado em dois ministérios.

A ministra da Justiça sai e poderá ser candidata pelo PS ao Tribunal Constitucional. Depois há os que estão de pedra e cal no Governo.

Mário Centeno fica no ministério das Finanças. Na saúde, Marta Temido. O ministro Siza Viera na Economia e na Defesa Gomes Cravinho também ficam. Nos Negócios Estrangeiros Augusto Santos Silva mantém-se e, aos comandos das Infraestruturas e Transportes, continua Pedro Nuno Santos.

Mas há possíveis alterações. António Costa poderá trocar a pasta de Tiago Brandão Rodrigues e passá-lo da Educação para o Ensino Superior, dando o seu lugar à atual secretaria de Estado da Educação.

Ricardo Serrão Santos será o novo ministro do Mar. Na justiça, para o lugar de Francisca van Dunem, a hipótese mais certa neste momento é João Tiago Silveira, coordenador do programa eleitoral do PS e ex-secretário de Estado da Justiça e Presidência do Conselho de Ministros.

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, justificou esta terça-feira a antecipação da habitual reunião semanal com o primeiro-ministro, António Costa, com o facto de este ir quarta-feira para Bruxelas, para o Conselho Europeu.

Eu sei que vou receber o primeiro-ministro como recebo todas as semanas, não sei mais nada”, disse Marcelo Rebelo de Sousa aos jornalistas em Midões, no concelho de Tábua, quando questionado se receberá a lista dos membros do novo Governo.

Marcelo explicou que “o primeiro-ministro vai para Bruxelas amanhã (quarta-feira), e estará lá dois dias no Conselho Europeu, que é importante também por causa do Brexit”, sendo “natural que antes de partir essa temática seja tratada na audiência com o Presidente da República”.

A habitual audiência semanal costuma realizar-se às quintas à tarde.