O antigo líder parlamentar social-democrata, Fernando Negrão, considerou, este sábado, “muito importante” a definição ideológica que Rui Rio fez do partido na abertura do congresso, deixando claro que “o PSD não é de todo um partido populista”.

Em declarações à agência Lusa durante o 38.º Congresso do PSD, Fernando Negrão disse esperar que “haja união”, de uma vez, “para esta altura e para os próximos dois anos”, porque há “eleições importantes e o país precisa de um partido de oposição”.

Foi um discurso muito importante porque situou ideologicamente o PSD, e nós temos que olhar para aquilo que são os novos partidos que vão aparecendo e eles são partidos populistas porque não têm definição ideológica. Rui Rio fez ontem muito bem a definição ideológica do PSD. Ficou claro que o PSD não é de todo um partido populista”, respondeu, quando questionado sobre o discurso do líder reeleito, Rui Rio.

Negrão argumentou que “o militante quer de facto é que haja unidade no PSD e que o PSD não seja um partido fonte de notícias pelos problemas internos, mas sim um partido fonte de notícias por ser um verdadeiro partido de oposição”.

Questionado sobre notícias que o apontam como número um da lista ao Conselho de Jurisdição de Rui Rio, o antigo líder parlamentar disse apenas: “não sei que convite é que possa chegar, não faço ideia nenhuma, mas se alguém falar comigo durante o decurso deste congresso, é a essa pessoa que eu responderei”.