O líder parlamentar do PSD anunciou esta quinta-feira que enviou uma carta ao presidente da Assembleia da República pedindo que a queixa apresentada por duas deputadas bloquistas relativamente ao deputado Bruno Vitorino seja debatida em conferência de líderes.

As deputadas Joana Mortágua e Sandra Cunha anunciaram na terça-feira que vão apresentar queixa da publicação na qual o deputado Bruno Vitorino (PSD) apelidou de “porcaria” a sensibilização de alunos sobre orientações sexuais.

Em causa está uma publicação do deputado social-democrata numa rede social, onde se lê “’Sensibilizar’ alunos de 11 anos sobre ‘diferentes orientações sexuais’? Com associações LGBTI à mistura? Que porcaria é esta? Cada um pode ser o que quiser, mas deixem as crianças ser crianças. Deixem as crianças em paz. Adultos a avançar sobre este campo junto de crianças é perverso. Isto tem que parar!”.

Esta quinta-feira, no final da reunião do grupo parlamentar do PSD, que decorreu na Assembleia da República, em Lisboa, Fernando Negrão avançou aos jornalistas que endereçou uma missiva a Eduardo Ferro Rodrigues, evocando a liberdade de expressão.

O que dominou esta reunião do grupo parlamentar foi a questão da carta que enderecei ao senhor presidente da Assembleia da República, a propósito de uma queixa que duas deputadas do Bloco de Esquerda vão fazer relativamente às declarações de um deputado do PSD”, afirmou o social-democrata.

Negrão justificou que a carta, enviada na quarta-feira, foi apresentada porque a “liberdade de expressão é sagrada e, sendo sagrada, é mais sagrada ainda no parlamento”.

Apesar de ainda não ter recebido “qualquer resposta” de Ferro Rodrigues, o líder parlamentar dos sociais-democratas pretende que a questão seja abordada na conferência de líderes.

É isso que eu pretendo, uma discussão na conferência de líderes entre todos os líderes parlamentares e o presidente da Assembleia da República", sustentou.