A eurodeputada comunista Ilda Figueiredo considera ilegal, xenófoba e racista a expulsão de ciganos de França e apelou esta sexta-feira às instituições europeias para que tomem uma «posição clara» de condenação a estas deportações, de acordo com a Lusa.

«Quer a Comissão, quer o Conselho, quer o Parlamento Europeu devem tomar uma posição clara condenando esta actuação», disse Ilda Figueiredo aos jornalistas.

As declarações da eurodeputada comunista foram feitas durante uma conferência de imprensa de balanço da actividade dos eurodeputados comunistas, na sede do PCP, em Lisboa.

Ilda Figueiredo considerou que a actuação da França é «inadmissível e ilegal, além do mais, à luz dos tratado». «Isso chama-se racismo e xenofobia», acrescentou.



«Continuaremos a denunciar esta política de hipocrisia da União Europeia que fala de liberdade de circulação nos estados membros da União Europeia mas, no concreto, essa liberdade de circulação é garantida aos capitais e às mercadorias e não à generalidade das pessoas», defendeu.

A eurodeputada considera que a actuação de França reflecte um «retrocesso muito forte» no seio da União e diz que é sintomática da «deriva grave em que entrou a União Europeia».

O Governo francês agravou a política contra os ciganos da Bulgária e da Roménia no final de Julho, desmantelando dezenas de acampamentos ilegais e anunciando que iria repatriar 700 cidadãos de etnia cigana para os seus países.
Redação / PB