Nuno Melo acusa este sábado a direção do CDS de ter adiado o congresso do partido por saber que ia perder, afirmando que, dessa forma, Francisco Rodrigues dos Santos vai poder apresentar-se nas eleições legislativas "já fora de mandato".

Recebi centenas de mensagens de militantes do CDS, profundamente indignados com o simulacro de deliberação ontem promovido por um presidente do Conselho Nacional que tomou decisões premeditadamente ilegais e foi obscenamente arbitrário na conduta. O que sucedeu, nunca foi visto no CDS em 47 anos de história", começou por dizer, numa publicação no Facebook.

As eleições ainda não têm data, mas o adiamento das diretas centristas foram mal recebidas pelo opositor do atual presidente do partido.

A direção fugiu aos votos num congresso já marcado, por saber que o perderia, apenas para se poder apresentar em eleições legislativas já fora de mandato", escreveu.

Nuno Melo vai mais longe nas críticas, e acusa o líder do CDS de violar a lei, razão pela qual diz que Francisco Rodrigues dos Santos "não merece o respeito do partido, nem a confiança dos eleitores".

Lembrando o encontro marcado para este sábado entre o presidente do CDS e o Presidente da República, onde se vai debater a atual crise política, Nuno Melo apela a Marcelo Rebelo de Sousa para que "tenha noção do que aconteceu e releve suficientemente o golpe institucional que ontem, o CDS viveu".

António Guimarães