O líder do CDS-PP, Francisco Rodrigues dos Santos, afirmou hoje que o Governo precisa urgentemente de uma remodelação, considerando que o executivo, liderado pelo socialista António Costa, está a decompor-se.

“Este Governo precisa urgentemente de uma remodelação. E se António Costa não fizer essa remodelação, passa a ser responsável pelos erros políticos dos ministros que não substitui”, disse Francisco Rodrigues dos Santos, na freguesia da Graça, concelho de Pedrógão Grande (Leiria), na apresentação dos candidatos do partido neste concelho às eleições autárquicas.

Para o presidente do CDS-PP, “esta remodelação urge fazer num Governo que trata o Estado como a sua casa, que vai fazendo da impunidade a regra e a irresponsabilidade política uma forma de gestão”.

Antes, o democrata-cristão sustentou que “o Governo está a decompor-se a cada dia que passa e a perder credibilidade aos olhos dos portugueses e a dar mau nome a Portugal, mediante este acumular de casos que tem acontecido”.

Entre esses casos referiu a “quebra do consenso político e social no combate à pandemia” de covid-19 ou as “nomeações dos ‘boys’ para ordenados chorudos e tachos no Estado, como Adão e Silva”, comissário dos 50 anos do 25 de Abril.

Francisco Rodrigues dos Santos apontou, ainda, as “gafes e trapalhadas inacreditáveis na Administração Interna, na Justiça, que começa a ser colonizada com os amigos da ministra para favorecimento do Partido Socialista e com este caso de perseguição inacreditável às crianças de Vila Nova de Famalicão que não querem frequentar as aulas de Educação para a Cidadania e Desenvolvimento”.

Ao primeiro-ministro, o presidente do CDS-PP sugeriu começar pelo ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, que “já há muito tempo que perdeu a confiança dos portugueses, perdeu a credibilidade e a autoridade que se merecem a um ministro de um Governo de Portugal”.

“Está na hora de fazer mais, porque este Governo está a decompor-se a cada hora que passa à vista de todos”, reiterou, declarando que, “por todas estas razões, é preciso um partido político responsável que coloque a casa em ordem e esse partido será sempre o CDS-PP”.

Hoje, o presidente do PSD, Rui Rio, afirmou ser notório o “desgaste” e a “desorientação” do Governo de António Costa, considerando ser evidente a necessidade de uma remodelação que, caso fosse primeiro-ministro, incluiria Eduardo Cabrita.

O primeiro-ministro, António Costa, disse no sábado, em entrevista ao jornal Público, que "não está prevista nenhuma remodelação" do Governo, e defendeu o trabalho dos seus ministros e a estabilidade governativa.

Nos últimos dias, alguns partidos têm defendido a demissão do ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita.

Numa outra entrevista, ao semanário Expresso, publicada na sexta-feira, o ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, afirmou esperar que o PS lhe “permita que acabe” a sua atividade profissional, nos próximos anos, na Faculdade de Economia do Porto.

Num comentário a estas declarações, o primeiro-ministro considerou que Santos Silva ainda tem “uns cinco anos” e que, "mesmo o mais frio racionalista, tem sempre um momento de ingenuidade quando fala com os jornalistas".

Agência Lusa / RL