O presidente do CDS-PP defendeu que é necessária uma "direita forte" para enfrentar a esquerda, e rejeitou uma "obsessão pelo centro", considerando que "ser apenas do centro é querer ser tudo e o seu contrário".

"Para combater a esquerda em Portugal precisamos de uma direita forte, nós não precisamos de uma obsessão pelo centro, que desvirtua a direita", afirmou o líder centrista no encerramento do primeiro dia da convenção do Movimento Europa e Liberdade (MEL), em Lisboa.

Na sua opinião, "o centrismo é uma ideologia de fachada e que faz fretes ao PS".

"Querer ser apenas do centro é querer ser tudo e o seu contrário, tudo ao mesmo tempo e, no final de contas não é ser coisa rigorosamente nenhuma. É ser tudo e é não ser nada", criticou Francisco Rodrigues dos Santos.

O líder centrista defendeu também que "quem se afirma do centro acaba por não ter armas para combater a esquerda e permitir a essa mesma esquerda se perpetuar no poder".

Considerando que "esta convenção do MEL representa um fórum de discussão de ideias e de afirmação da direita", o presidente do CDS-PP apelou ao diálogo.

"Saibamos continuar a conversar entre nós, a combater as limitações que muitos nos querem impor, a examinar as dificuldades e as preocupações dos portugueses", desafiou.

. / HCL