“Tem de haver acordos de regime para as reformas que só assim se conseguem. Por exemplo na Segurança Social. Para evitar que, de cada vez que muda o Governo ou o ministro, mudem as políticas. Para que estas mudanças se façam sem nunca pôr em causa as bases da reforma. Isso parece-me difícil no atual quadro parlamentar”