O primeiro-ministro anunciou a conclusão do acordo do Governo com a Altice para adquirir o capital do SIRESP, uma solução que António Costa tinha antecipado estar “por horas” num debate quinzenal há 576 horas, ou 24 dias.

A informação foi dada por António Costa em resposta à presidente do CDS-PP, Assunção Cristas, no debate quinzenal de hoje, na Assembleia da República, em Lisboa, depois de passarem 576 horas, contas feitas pela deputada centrista, sobre o dia em que fez uma pergunta sobre a conclusão do acordo do Governo sobre o Sistema Integrado de Redes de Emergência e Segurança de Portugal (SIRESP).

A boa notícia é que o acordo com a Altice está fechado", disse o chefe do Governo.

Também o acordo com a Motorola está “genericamente concluído”, faltando “duas questões de pormenor” e uma posição da “casa-mãe”, explicou ainda.

O processo de compra do capital do SIRESP pelo Estado está, assim, numa "fase de formalização jurídica", concluiu.

Mais de três semanas, ou 24 dias, depois do debate com Assunção Cristas, em 13 de maio, primeiro dia de campanha oficial para as europeias, em que o atraso na conclusão do acordo entrou no debate eleitoral, António Costa reconheceu que foram necessárias “mais horas do que o previsto” para concluir o acordo.

Por sua vez, a Altice Portugal disse à Lusa que há um "acordo de princípio" relativo aos "pressupostos da aquisição" das participações dos privados no SIRESP - Sistema Integrado de Redes de Emergência e Segurança de Portugal pelo Estado.

Contactada pela Lusa, fonte oficial da Altice Portugal disse que "o que há neste momento é um acordo de princípio relativo aos pressupostos da aquisição das participações dos privados por parte do Estado" no SIRESP.

Também o acordo com a Motorola está "genericamente concluído", faltando "duas questões de pormenor" e uma posição da "casa-mãe", explicou António Costa.

Contactado pela Lusa, o diretor-geral da Motorola Solutions Portugal, outro dos acionistas da SIRESP, confirmou a existência de "um acordo genérico".

Questionado sobre se foi dado um prazo para a negociação, Juan Rodrigues disse desconhecer qualquer data limite.

"Ainda estamos a negociar", concluiu.

A SIRESP é detida em 52,1% pela PT Móveis (Altice Portugal), 33% pela Parvalorem (Estado) e 14,9% pela Motorola Solutions.

/ JFP