«Esta vitória do Syriza é uma vitória que tem consequências para a Grécia, mas sobretudo para a União Europeia e para zona euro no seu conjunto.




«Apesar de todas as ameaças, os eleitores gregos colocaram [no poder] um partido de esquerda, um partido com um programa construtivo, que não é antieuropeu e que pretende permanecer na União Europeia e reforçar a coesão europeia».