A renovada Sala das Sessões do Parlamento, a estrear na próxima semana, vai permitir aos deputados projectar imagens em dois ecrãs retrácteis, possibilidade que deixou os partidos «apreensivos», segundo a porta-voz da conferência de líderes, citada pela Lusa.

De acordo com Celeste Correia, durante a conferência de líderes parlamentares desta terça-feira, todos os representantes dos partidos manifestaram «receios» e «o presidente da Assembleia da República também».

«Estão apreensivos com as questões deontológicas e de direitos de imagens» que se colocam e querem evitar que o plenário se confunda «com um estúdio de televisão», acrescentou.

«O presidente da Assembleia da República abriu a discussão» sobre os termos de utilização dos ecrãs e ficou decidido «dar passos pequeninos», começando por projectar apenas imagens estáticas e somente de «gráficos, mapas, fotografias, jornais e do Diário da Assembleia da República».



Ficou igualmente decidido, por consenso, que «não há campanhas negativas», embora não tivesse ficado definido que tipo de imagens se inclui no conceito de «campanha negativa», adiantou a deputada do PS.

A projecção de imagens vai poder ser feita através dos computadores dos deputados, durante as suas intervenções, e «não se falou na possibilidade de ser extensível aos membros do Governo», que não dispõem dos computadores para o efeito.
Redação / CP