O PS vai ter em discussão dois projectos sobre procriação medicamente assistida (PME), um subscrito pela direcção que limita a maternidade de substituição a casais e outro projecto da JS que alarga o universo a mulheres solteiras.

De acordo com a Lusa, a decisão foi transmitida pelo líder da bancada do PS, Carlos Zorrinho, depois da reunião do Grupo Parlamentar socialista.

Segundo Carlos Zorrinho, verifica-se «um enorme consenso na bancada em torno do projecto que vai permitir a possibilidade de existir maternidade de substituição para casais em condições de infertilidade».

Zorrinho indicou existir também um «conjunto de deputados» que «subscreverão um projecto da JS que alarga o âmbito dos beneficiários».

Depois de ser aprovado, o projecto do PS tornará mais fácil o acesso à maternidade de substituição, «mas sem alterar o universo dos beneficiários», indicou ainda.

Interrogado sobre o motivo que levou o PS a restringir a gravidez de substituição a mães solteiras, Zorrinho defendeu que a bancada socialista «ouviu diversos especialistas» em relação a esta matéria.
Redação / IPL