O deputado único da Iniciativa Liberal disse esta terça-feira que questionou “diretamente” o Presidente sobre se este seria o último decreto do estado de emergência no país, adiantando que Marcelo “não se quis comprometer” já com essa decisão.

Eu fiz essa questão diretamente ao senhor Presidente da República e o senhor Presidente da República preferiu não se comprometer com essa decisão”, sustentou João Cotrim de Figueiredo em declarações aos jornalistas na Assembleia da República, depois de ter sido questionado sobre se Marcelo Rebelo de Sousa teria adiantado se este é ou não o último decreto do estado de emergência no país.

O deputado liberal, que falava no rescaldo da reunião no Infarmed com especialistas e a audiência com o chefe de Estado português, destacou os “dados positivos” sobre a pandemia no país, defendendo que o desconfinamento deve continuar e que está na altura de Portugal “retomar o trabalho”.

Os dados são positivos, aqueles aspetos que podem ser considerados menos positivos têm explicações que elas próprias são tranquilizadoras, do nosso ponto de vista está na altura de Portugal retomar o trabalho, retomar a sua vida”, sustentou.

Cotrim de Figueiredo disse que o Presidente esteve de acordo que os dados atuais “justificam a continuação do desconfinamento”.

“Não só os dados são bons ‘per si’ mas temos também o acompanhamento desses dados com um maior nível de testagem e, com isso, uma maior solidez dos dados e de tudo isso que pode estar por detrás de uma decisão de continuar a desconfinar”, defendeu.

/ MJC