O secretário-geral do PCP descartou esta terça-feira eventuais polémicas em relação à realização da Festa do Avante!, à semelhança do que aconteceu em 2020, considerando que a edição anterior descredibilizou as críticas feitas e a “operação claramente de provocação”.

A vida provou, em relação à festa do ano passado, essa garantia de que é um dos espaços mais seguros em termos de saúde pública (…). O respeito pelas normas, que foram cumpridas, desativou essa operação, que era uma operação claramente de provocação, uma ofensiva ideológica, procurando minimizar a festa e o partido”, sustentou Jerónimo de Sousa no final de uma visita à Quinta da Atalaia (Seixal), para fazer uma vistoria aos preparativos para a rentrée comunista.

Questionado pelos jornalistas sobre as críticas feitas por moradores daquele concelho e pelas manifestações que decorreram no exterior contra a realização da edição do ano passado, sustentadas na pandemia e no eventual aumento no número de infeções, o dirigente comunista admitiu que alguns setores “estavam preocupados”.

No entanto, completou, esses mesmos setores “foram os primeiros, depois da festa, a reconhecer que afinal era possível” realizar o evento, no “quadro de equilíbrio” entre o cumprimento das regras de saúde pública e o “respeito pelos direitos, liberdades e garantias fundamentais”,

Por essa razão e até considerando o momento que o país está a viver – com mais de 70% da população portuguesa vacinada com as duas doses contra a covid-19 – Jerónimo de Sousa rejeitou polémicas com a 45.ª edição da Festa do Avante!.

As críticas feitas há um ano, prosseguiu, “roçaram, em alguns casos, as provocações”, como, por exemplo, “as coisas horríveis que foram ditas, transmitidas, particularmente, pelas redes sociais”, mas tudo isso “falhou”.

Para eventuais céticos, o membro do Comité Central deixou um desafio: “Estão criadas todas as condições para, mantendo as características da festa, confiante de que vai haver mais gente do que no ano passado e num quadro mais tranquilo, em que quem cá venha possa por si tirar conclusões”.

Durante o périplo pela Quinta da Atalaia, Jerónimo de Sousa visitou os espaços que dentro de pouco mais de uma semana vão receber os mais de 60 debates, espetáculos musicais e até torneios desportivos da rentrée comunista, que este ano engloba o ponto alto das celebrações do centenário do PCP.

Em cima do palco, ainda 'despido', onde vai discursar para militantes e visitantes da Festa do Avante!, Jerónimo de Sousa inteirou-se dos artistas que vão dar música ao público.

Seguiu-se uma visita às restantes estruturas, onde parou sempre para 'um dedo de conversa' com quem estava a trabalhar e até recordou o tempo em que andava de martelo na mão a construir as estruturas do evento.

A 45.ª Festa do Avante! vai decorrer entre 3 e 5 de setembro e tem como destaques o momento principal das celebrações do centenário do partido, uma ode à música de Zeca Afonso, os duetos improváveis – que conjugam diferentes artistas -, o regresso das atividades desportivas e até dos espaços dedicadas para as crianças.

/ CE