O secretário-geral comunista afirmou hoje, perante os resultados já conhecidos das eleições legislativas, que nada obsta a que o socialista António Costa seja indigitado novamente primeiro-ministro, mas PCP e "Verdes" votarão caso a caso, no Parlamento.

Jerónimo de Sousa, cuja declaração foi sendo adiada desde as 21:30 até às 21:53, assumiu assim que a denominada "geringonça" - as posições conjuntas entre PS, BE, PCP e PEV de 2015 - chegou ao seu fim, pois "não haverá repetição da cena do papel", referindo-se à assinatura dos acordos bilaterais há quatro anos.

O secretário-geral do PCP, que concorreu na Coligação Democrática Unitária (CDU), juntamente com "Os Verdes", discursou e respondeu a perguntas dos jornalistas, no centro de trabalho comunista Vitória, na avenida da Liberdade, em Lisboa.