Jerónimo de Sousa foi o último líder partidário a ser recebido esta sexta-feira no Palácio de Belém, na ronda de conversas informais promovidas pelo Presidente da República sobre a formação do novo Governo.

À saída, o líder do Partido Comunista Português, diz ter chamado a atenção para os reflexos da crise na sociedade:

«Manifestámos, neste encontro informal, as nossas profundas preocupações em relação à situação económica e social do país. Estas eleições e a campanha eleitoral permitiram um conhecimento maior da realidade com que nos deparamos e transmitimos ao Sr. Presidente as preocupações, particularmente nas questões que se referem ao desemprego, à pobreza, à ameaça da ruína de muitas micro-pequenas e médias empresas e também da agricultura.

Considerámos e colocámos ao Sr. Presidente a necessidade do futuro governo encontrar respostas urgentes que correspondam a estas preocupações de muitos portugueses e, nesse sentido, a reunião concentrou-se na discussão dessa realidade, do conhecimento que temos, das propostas que fazemos, procurando que esta situação dramática em que o país se encontra, numa encruzilhada tremenda, tenha respostas com medidas políticas necessárias para a saída dessa crise.»
Redação / FC